Com a chegada de Dezembro, inicia-se a procura da consoada perfeita. À mesa portuguesa (ou alentejana!) o queijo Almocreva e o vinho alentejano são duas presenças quase obrigatórias.

No imaginário gastronómico, o queijo e o vinho caminham lado a lado. O queijo, com a sua versatilidade, adequa-se ao início ou final da refeição, entre refeições ou mesmo como sobremesa ou entrada. O vinho, «a bebida sagrada dos deuses», transversal a vários povos e civilizações, é perfeito para qualquer momento da refeição.

Quando combinados em harmonia, estes dois marcos gastronómicos são capazes de transformar uma simples refeição, numa experiência ímpar…e é ou não isso que se pretende na noite de 24 de Dezembro?!

Porém, esta clássica combinação pode não ser tão simples quanto parece. A imensa diversidade de queijos e vinhos torna difícil a escolha perfeita. Sabores e aromas complexos que se devem unir sem sobrepor, equilibrar e completar. Para que os sabores se completem e harmonizem, deixamos-lhe algumas sugestões básicas que pode seguir e que facilitam o processo.

·       Queijos frescos ou de pasta mole combinam com vinhos brancos, suaves e de aromas leves;

·       Queijos de pasta semi mole harmonizam-se com vinhos tintos leves e frutados;

·       Queijos de pasta dura são perfeitos para aperitivos ou entre refeições, combinando magnificamente com espumantes secos ou champanhe. Se preferir estes queijos como ultimo prato, a melhor combinação será com um vinho tinto forte e encorpado.

Para sabores tão variados e complexos, não existe fórmula exacta. Estas sugestões apresentam apenas o essencial. Deixe-se ir ao sabor do seu gosto pessoal e da criatividade. Experimente sabores, teste resultados e, acima de tudo, divirta-se no processo!